25 de novembro de 2016

Cafú aplaude a afirmação de João Pedro


Encantado com o percurso positivo da ex-equipa, Cafú aposta numa época memorável. “Este ano seremos nós o quarto grande”, estima o jogador do Lorient, um apaixonado assumido pelo Vitória.

Partiu Cafú, emergiu João Pedro no meio-campo do V. Guimarães. Aposta inesperada do técnico Pedro Mendes, o médio de 23 anos agarrou a titularidade logo no arranque da época e depressa conquistou os adeptos, incluindo o próprio Cafú, que quando dispõe de tempo livre dá um pulo a Portugal para matar saudades do clube de sempre. “Assisti no estádio à vitória sobre o Nacional e, no final, tive a oportunidade de conversar com o João Pedro. Disse-lhe para continuar assim, porque está muito bem”, conta o atual jogador do Lorient, certo de que o ex-companheiro, também ele refinado na equipa B, tem margem para evoluir. “Só lhe falta marcar golos. Julgo que vão surgir com naturalidade, porque ele trabalha muito bem”, sustenta.

Por ser um jogador “da casa, que sente o clube como poucos”, João Pedro estará ainda talhado, segundo Cafú, para assumir a braçadeira de capitão. “É um grande profissional e, por isso, ficar-lhe-ia bem”, estima o anterior dono da braçadeira. Volta e meia, as saudades batem forte e Cafú nem tem problemas em assumir ter “pena” de já não representar a equipa vitoriana.

“Ao contrário da minha equipa (última classificada na Liga francesa), estão numa fase super ascendente, gerando grande entusiasmo entre os adeptos. As coisas começaram a correr bem logo de início e isto é como uma bola de neve. Este ano seremos nós o quarto grande”, antevê. Do técnico Pedro Martins, tem recebido as melhores referências. “Os meus ex-colegas apreciam a serenidade do Pedro. Dá margem de erro aos jogadores e, de facto, parece-me um ótimo treinador, muito sério e profissional”, avalia.

In O Jogo